quinta-feira, 1 de março de 2012

Grécia, Alexandre, Roma e Cristianismo 1º-Médio


     Grécia

O ESPAÇO
A península Balcânica (Mediterrâneo Oriental) foi cenário da civilização grega.
A Grécia dividia-se em:
» continental, situada na região meridional da
península Balcânica;
     » peninsular, separada da Grécia continental pelo golfo de Corinto;
     » insular, formada pelas ilhas dos mares Egeu,
Mediterrâneo e Jônio;
» asiática, formada após a colonização da Ásia Menor.
A posição geográfica da Grécia favoreceu-lhe ser um elo de ligação entre a Europa e o Oriente Próximo.

O POVO GREGO
A península Balcânica começou a ser ocupada por povos indo-europeus, por volta do ano 2000 a.C. Esses povos eram os:
» aqueus: foram os primeiros a chegar, concentraram-se no Peloponeso, submeteram a população local e fundaram várias cidades, entre
elas Micenas e Tirinto;
» eólios: atingiram várias regiões, entre elas a
Tessália;
» jônios: estabeleceram-se na região da Ática,
onde mais tarde foi fundada a cidade de Atenas;
» dórios: ocuparam o Peloponeso por volta de
1200 a.C, provocando a dispersão de parte de sua população para o interior e para as ilhas do mar Egeu e a costa da Ásia Menor. Esse episódio é conhecido como Primeira Diáspora.
Nesse período aconteceu a Guerra de Tróia, iniciada provavelmente no século XII a.C. Ela decorreu da luta entre aqueus e troianos pela hegemonia comercial dos mares Egeu e Negro.
Após a luta de nove anos, Tróia foi capturada,
mediante o ardil do "cavalo de madeira"
Com a queda de Tróia, afastou-se do caminho a
única potência militar capaz de se opor às investidas dos gregos na Ásia Menor e abriu-se a possibilidade da colonização grega na região.

Os tempos homéricos
O período que vai de 1200 a.C. a 800 a.C. é conhecido como Tempos Homéricos.
Nesse período predominou a organização gentílica, cuja base era o genos: espécie de clã familiar - família coletiva -, onde os parentes consangüíneos descendiam de um antepassado comum.
O genos era chefiado pelo pater, que possuía
autoridade militar, religiosa e política.
A comunidade gentílica se caracterizava:
     » pela economia agrícola e pastoril, baseada na propriedade coletiva da terra.
     » pela sociedade igualitária; devido à ausência de classes sociais, a posição da pessoa dependia do grau de parentesco com o pater.
Por volta do século VIII a.C, teve inicio o processo de desintegração da comunidade gentílica. A produção não acompanhou o crescimento demográfico, levando à falta de alimentos e ao surgimento da propriedade privada e das classes sociais.

ATIVIDADES
1.Complete as lacunas:
a. A Grécia estava localizada na península_________________________
b. A Grécia dividia-se em_____________, __________________, _________________e____________________
c. A posição _________________ da Grécia favoreceu-lhe ser um elo de ligação
entre a______________e o ________________
d. Os ______________ foram os primeiros a chegar na península Balcânica, concentrando-se no __________________________
e. Por volta do século XII a.C. ocorreu a_______________ decorrente da luta entre _______________ e ___________ pela hegemonia comercial dos mares _______________ e _____________________

2. Assinale as alternativas corretas.
a. Nos Tempos Homéricos, a organização básica foi:
(   ) o genos. (   ) a fratria. (   ) a polis.
b. O genos era:
(    ) um estado organizado, militar e escravista.
(    ) uma tribo baseada em aldeias matrilineares.
(    ) uma espécie de clã familiar originário de um antepassado comum.

3. Coloque V, quando a alternativa for verdadeira e F, quando for falsa:
a. (    ) a economia da comunidade gentílica era de base agrícola e pastoril.
b. (    ) na comunidade gentílica, a propriedade da terra era coletiva.
c. (   ) as relações sociais na comunidade gentílica eram igualitárias.


4. Por que ocorreu a desintegração da comunidade gentílica? _____________________________________________________________________________________________________________________




A pólis grega
Na época da desagregação dos genos, começaram a se formar as cidades-estados.
As tensões sociais e as crises levaram alguns genos a se unir por determinados objetivos comuns, formando uma frátria, que representava uma nova organização sociopolítica grega. Um certo número de frátrias reunidas formava uma tribo.
As tribos de uma dada região se uniram e passaram a se organizar em Estados, cuja expressão máxima foram as polis.
A formação das polis estava relacionada com o desenvolvimento do artesanato e do comércio, com o aparecimento da escravidão, e, por fim, com a expansão colonial.

A segunda diáspora
O crescimento demográfico, a busca de terras férteis e a necessidade de alimentos foram fatores que levaram os gregos a buscar novas terras. Colonizaram regiões do Mediterrâneo, do norte do mar Negro, das costas asiáticas e do norte da África.
As colônias possuíam uma certa autonomia, o colonialismo provocou a expansão da agricultura, da pecuária e do artesanato.

ATIVIDADES
1. Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira.
a. genos (    ) subdivisão da tribo.
b. fratria (    ) aglomeração de fratrias que viviam na mesma região.
c. tribo (    ) está relacionado com o desenvolvimento do artesanato e do comércio.
d. polis (   ) chefiado pelo pater, que possuía autoridade militar, religiosa e política.
(   ) reunião de vários genos.
(    ) aparecimento da escravidão e da expansão colonial.



2. Quais foram os fatores que propiciaram a segunda diáspora grega? _____________________________________________________________________________________________________________________
3.  Comente o colonialismo grego.
__________________________________________________________________________________________________________________

O período arcaico
Do século VIII a.C. até o século V a.C. ocorreram transformações políticas e sociais importantes na Grécia. São características desse período:
» substituição da monarquia pela oligarquia;
     » enriquecimento da aristocracia;
     » crescimento da desigualdade social;
     » a sociedade grega foi se tornando escravista, e obtinha escravos nas guerras, na expansão comercial e no endividamento das pessoas;
     » a Grécia se constituía em mais de cem cidades-estados.

A cidade-estado Esparta
Esparta, localizada na península do Peloponeso, foi fundada pelos dórios.
Sociedade espartana:
» esparciatas: aristocracia dórica, camada dominante;
» periecos: homens livres que viviam nos arredores da cidade. Dedicavam-se ao artesanato e ao comércio;
» hilotas: compunham a maior parte da população. Eram servos do Estado e trabalhavam nas terras dos esparciatas.

Instituições políticas em Esparta:
» Diarquia: formada por dois reis, com autoridade militar e religiosa.
» Gerúsia: "Conselho dos Anciãos", fiscalizava a
administração.
» Apela: assembléia popular, formada pelos cidadãos.
» Eforado: cinco éforos, administradores da cidade, com mandato de um ano.

Saiba que...
Aos cidadãos espartanos era dada uma rígida educação militar, com a finalidade de formar hábeis guerreiros, para atender aos interesses do Estado.




A cidade-estado Atenas
A cidade de Atenas, localizada na Ática, foi fundada pelos jônios e resultou da junção pacífica de várias fratrias.

As camadas sociais atenienses eram:
» eupátridas (grandes proprietários de terras);
» georghois (pequenos proprietários de terras);
» thetas (não possuíam terras e eram trabalhadores assalariados);
» demiurgos (artesãos e comerciantes estrangeiros).

Saiba que...
Em 509 a.C, o aristocrata Clístenes realizou reformas que deram origem à democracia. Os cidadãos eram minoria na sociedade ateniense, visto que os estrangeiros, as mulheres, os jovens e os escravos estavam impedidos de ter participação política.



A democracia ateniense atingiu o apogeu no século V a.C, com Péricles, que governou quatorze anos e promoveu Atenas tanto política como culturalmente.
O governo democrático ateniense era assim:
» Bule: assembléia destinada à elaboração das
leis.
» Eclésia: assembléia que votava as leis e escolhia os estrategos, que eram encarregados de
executar as leis.
     » Hiléia: tribunal de justiça.

ATIVIDADES
1.Coloque V, quando a alternativa for verdadeira e F, quando for falsa.
a. (    ) No período arcaico a monarquia foi substituída pela aristocracia.
b. (    ) A sociedade grega, no período arcaico, deixou de ser escravista.
c. (    ) Os esparciatas eram a camada dominante da sociedade espartana.
d. (    ) Os periecos eram os servos de Esparta.
e. (   ) A Gerúsia espartana era uma assembléia popular, formada pelos cidadãos.
f. (    ) A finalidade da educação espartana era formar hábeis guerreiros.

2.Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira.
a. eupátridas        (    ) trabalhadores assalariados, sem terras.
b. georghois (    ) artesãos e comerciantes estrangeiros.
c. thetas (    ) grandes proprietários de terras.
d. demiurgos    (    ) pequenos proprietários de terras.

3.Comente a democracia grega.
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

O período clássico
Entre os séculos V e IV a.C. ocorreram novas
transformações nas cidades gregas tais como:
» a consolidação definitiva da cidade-estado;
» a diversificação da agricultura;
» o aperfeiçoamento das técnicas agrárias (aprimoramento do arado);
» a ampliação dos centros artesanais;
» o desenvolvimento do comércio marítimo;
» o desenvolvimento da economia monetária;
» a supremacia das relações escravistas;
» o predomínio de algumas cidades-estados e da
política imperialista.

O mundo grego em guerra
     » Guerras Médicas
Em 480 a.C, o rei persa Xerxes organizou um poderoso exército que invadiu a Grécia. Os gregos foram derrotados e os persas invadiram a
região da Ática e incendiaram Atenas. As forças unidas de Atenas e Esparta conseguiram
expulsar os persas do território grego.
Em meio à guerra, Atenas organizou uma confederação das cidades gregas, a Confederação de Delos, sob a liderança de Atenas.
A confederação era um pacto, onde as cidades- estados contribuíam com recursos financeiros,
navios, mão-de-obra e mantinham a sua soberania político-administrativa.

» Guerra do Peloponeso
A hegemonia ateniense e seu projeto de democracia e expansionismo comercial foram combatidos por Esparta, que passou a liderar a
Liga do Peloponeso. Esse confronto latente
ocasionou a Guerra do Peloponeso entre 431 a.C. e 404 a.C.






ATIVIDADES
1.  Quais foram as principais mudanças ocorridas no período clássico?
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
2. Por que os atenienses organizaram a Confederação de Delos ?
__________________________________________________________________________________________________________________
3. Por que ocorreu a Guerra do Peloponeso?
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Os macedônios dominam a Grécia
A Macedônia ficava ao norte da Grécia e era governada pelo rei Felipe II, que aproveitou do enfraquecimento das cidades gregas, devido à rivalidade que existia entre elas, para iniciar seu plano de conquista das cidades gregas e fazê-las suas aliadas.
Em 338 a.C, Felipe II derrotou os gregos na Batalha de Queronéia.

A formação de um grande império
Em 336 a.C, Felipe II morreu e o poder passou para seu filho Alexandre Magno.
A política expansionista dos macedônicos teve continuidade com Alexandre, que após derrotar a cidade de Tebas iniciou a conquista da Ásia. Em 334 a.C, Alexandre atravessou o Helesponto e dominou a Ásia Menor. Em 327 a.C, invadiu a índia.
Em 323 a.C, Alexandre morreu na Babilônia. Logo após, os generais lutaram entre si, dando origem a novos Estados. A divisão ficou assim:
» Seleuco ficou com a Pérsia, a Mesopotâmia e a Síria;
» Cassandro ficou com a Macedônia e a Grécia;
     » Lisímaco ficou com a Ásia Menor e a Trácia;
     » Ptolomeu tornou-se faraó do Egito.

O comércio se ampliava cada vez mais, favorecido pelo uso do mesmo padrão monetário.

A cultura helênica e helenística
A produção artístico-cultural grega foi diversificada, deixando um legado cultural, cujos princípios norteadores eram:
» o humanismo;
» a busca de harmonia nas artes;
» a crença na capacidade criativa do homem.
Após as conquistas de Alexandre Magno, surgiu a cultura helenística.
Foi uma cultura que representava a síntese das culturas grega e oriental, cujos grandes centros foram Alexandria, Pérgamo e Antióquia.


     ATIVIDADES
1.  Complete as lacunas:
a. Em 338 a.C. Felipe II, rei macedônico, aproveitou-se do __________________ das cidades gregas, conquistando-as na batalha de ________________________
b. Em 336 a.C. ______________ assumiu o poder.
c. Quando Alexandre Magno morreu, o império grego foi________________

2.   Relacione a segunda coluna de acordo com a primeira.
a. Seleuco (    ) Ásia menor e Trácia.
b. Cassandro (    )  Pérsia, Mesopotâmia e Síria.
c. Lisímaco (   ) Egito.
d. Ptolomeu (    ) Macedônia e Grécia.






























     Roma
O ESPAÇO
A cidade de Roma está localizada na península Itálica, que é cortada por grandes rios - Pó, Arno e Tibre - e, no sentido norte-sul, pela cadeia dos Apeninos.

A FUNDAÇÃO DE ROMA
Roma surgiu por volta do ano 1000 a.C, de uma fortificação que os latinos e sabinos ergueram nas proximidades do rio Tibre. Era um lugar estratégico e propício às atividades agropastoris.

A MONARQUIA
De 753 a.C. até 509 a.C. os romanos viveram sob o regime monárquico. Roma era governada por reis escolhidos pela Assembléia Curial e tinham o poder limitado pelo Senado. Essa assembléia era formada por cidadãos em idade militar. A economia romana desse período era agropastoril.
A sociedade nesse período era formada por:
» patrícios: os aristocratas, os grandes proprietários de terras;
» plebeus: os homens livres, considerados estrangeiros. Eles eram pequenos agricultores,
pastores, comerciantes e artesãos;
» escravos: originados dos povos conquistados.

ATIVIDADES
1.   Complete as lacunas:
a. A cidade de Roma está localizada na península______________ , cortada pelos
rios _______, _________ e____________e, no sentido norte-sul, pela cadeia dos____________
b. Roma surgiu por volta do ano______de uma fortificação que os _____________e___________ergueram próximo ao________________

2.Assinale as respostas corretas das seguintes alternativas:
a. Durante a monarquia:
(   ) os reis eram eleitos pelos patrícios e plebeus.
(   ) os reis eram eleitos somente pelos patrícios.
(   ) os reis eram escolhidos pela Assembléia Curial.
(   ) os reis tinham cargo hereditário, de direito divino.
b. Os patrícios eram:
(    ) cidadãos atenienses que habitavam em Roma.
(   ) aristocratas, grandes proprietários de terras.
(   ) homens livres, considerados estrangeiros e pequenos agricultores
(    )  escravos originados dos povos conquistados.
c. Durante a monarquia a economia era:
(    ) agropastoril. (    ) industrial escravista.
(   ) industrial. (   ) comercial escravista.

A REPÚBLICA
Em 509 a.C, um choque entre o rei e a aristocracia provocou o fim da realeza. Os patrícios se revoltaram e organizaram uma república de ricos proprietários, que se estendeu até 27 a.C.
O poder executivo passou a ser exercido pelos magistrados:
» cônsules: em número de dois, comandavam o exército;
» pretores: cuidavam da justiça;
» censores: faziam o censo dos cidadãos, com
base na sua riqueza, e vigiavam sua conduta;
» questores: homens encarregados da área financeira;
» edis: responsáveis pela preservação, policiamento e abastecimento das cidades.

O Senado era o órgão com maior poder, composto por 300 senadores vitalícios, cujas funções eram:
elaborar as leis, cuidar das questões financeiras e religiosas, administrar as províncias.

As Assembléias eram em número de três:
     » Curial: examinava os assuntos de ordem religiosa.
» Tribal: nomeava os questores e edis.
     » Centurial: composta pelas centúrias.

As lutas sociais
A República romana foi marcada pelos conflitos sociais, envolvendo a plebe e os patrícios, ocorridos entre os séculos V e III a.C. Eles tiveram início quando os plebeus formaram um exército próprio e retiraram-se para o monte Aventino.
Os patrícios necessitavam dos plebeus e aceitaram as suas reivindicações, permitindo que tivessem representação, o tribuno da plebe.
Em 450 a.C, foram criadas as Leis das XII Tábuas, as primeiras leis comuns a todos os romanos.
Em 445 a.C, a plebe conseguiu a aprovação da Lei Canuléia.
Com a Lei Licínia (366 a.C), foi abolida a escravidão por dívidas.


As conquistas romanas
Durante o período republicano, em apenas três séculos (do IV ao II a.C), Roma conquistou um grande império. Dominou a Macedônia, a Grécia, a península Ibérica, a Bitínia, a Síria, o Egito e toda a Gália. O objetivo maior era controlar o Mediterrâneo, porém o grande empecilho para isso era Cartago, cidade-estado fundada pelos fenícios no Norte da África, que havia alcançado alto grau de prosperidade.
As guerras entre Roma e Cartago são conhecidas como Guerras Púnicas. Em 146 a.C, Cartago foi destruída pelo general Cipião Emiliano.
Após a destruição de Cartago, Roma passou a ser a cabeça de um império que reunia sob seu jugo povos de culturas diferentes. As regiões conquistadas, transformadas em províncias romanas, eram obrigadas a pagar altos tributos a Roma.
Os resultados dessas transformações foram:
» enriquecimento dos patrícios;
» aumento do número de escravos;
» formação de uma nova camada social, a dos cavaleiros;
» empobrecimento dos pequenos proprietários;
» aumento das importações, que passaram a superar as exportações.

ATIVIDADES
1. Coloque V, quando a alternativa for verdadeira e F, quando for falsa.
a. (    ) Os pretores cuidavam da justiça.
b. (    ) Os questores faziam o censo dos cidadãos.
c. (    ) Os edis eram encarregados da área financeira.
d. (    ) O Senado era um órgão político sem expressão ou poder.
e. (   ) Havia três Assembléias na República romana: Curial, Tribal e Centurial.

2. Comente as conquistas romanas
_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3.  Comente os conflitos sociais na República romana. _____________________________________________________________________________________________________________________




A República em crise
O período compreendido entre os anos de 133 a.C. e 27 a.C. marcou o declínio da República romana. Destacam-se os seguintes acontecimentos: as reformas dos irmãos Graco, os governos de Mário e Sila e os triunviratos.

     Os irmãos Graco
Os irmãos Tibério e Caio Graco foram eleitos
sucessivamente tribunos da plebe. Foram importantes devido às reformas sociais que propuseram à Roma. Em 133 a.C, Tibério Graco conseguiu a aprovação de uma lei, que limitava a extensão das terras da aristocracia e autorizava a distribuição para os pobres da área que ultrapassasse o limite estabelecido.
Em 123 a.C, Caio Graco retomou o projeto de reforma agrária, com a intenção de conter o processo de extinção das pequenas propriedades rurais e o avanço do latifúndio e, para ganhar o apoio dos pobres, conseguiu que fosse abaixado o preço do trigo.

Os triunviratos
No ano de 70 a.C, ocorreu a revolta de 80 mil escravos liderados por Espártaco. Foi vencida pelos generais Crasso e Pompeu. Como recompensa, eles foram eleitos cônsules.
Porém a inquietação política continuou em Roma e varias revoltas se sucederam, obrigando à criação de um governo forte, conhecido como Primeiro Triunvirato (60 a.C), que contou com a participação de Pompeu, Crasso e Júlio César.
A partir de 45 a.C, Júlio César passou a governar Roma sozinho, como ditador vitalício. Entretanto, o Senado, contrariado com seus poderes, armou uma conspiração e Júlio César foi assassinado em 44 a.C . Em 43 a.C, formou-se o Segundo Triunvirato, composto por Otávio, Marco Antônio e Lépido, que foi afastado do poder. Otávio governava o Ocidente e Marco Antônio o Oriente.
Otávio declarou Marco Antônio inimigo de Roma e combateu-o. Otávio saiu vitorioso em 30 a.C, assumiu o poder, recebendo do Senado vários títulos, entre eles os de Imperador, César e Augusto. Iniciava-se, assim, o Império.

ATIVIDADES
1.  Por que a República romana entrou em crise?________________________________________________________________________________________________________________
2.   Comente as reformas sociais dos irmãos Graco._______________________________________________________________________________________________________________

O IMPÉRIO ROMANO
O imperador detinha poderes absolutos. Além de executar as leis, exercia o comando do exército e legislava através de editos, decretos e mandatos.
As províncias eram classificadas em senatoriais, administradas pelo Senado através de governadores, e imperiais, administradas pelo imperador. Otávio, o primeiro imperador, governou de 27 a.C. a 14 d.C. Suas primeiras medidas diziam respeito à reestruturação administrativa do Estado imperial. Foi criada a Guarda Pretoriana, com a função de dar proteção ao imperador e à capital.
Para ganhar popularidade, Otávio adotou a política do pão e circo. Distribuía trigo para a população pobre e organizava espetáculos públicos de circo.

Os sucessores de Otávio
Após o governo de Otávio, o Império Romano foi governado por várias dinastias:
» Dinastia Júlio-Claudiana (14-68).
» Dinastia dos Flávios (69-96).
» Dinastia dos Antoninos (96-192): o império
atingiu sua maior extensão territorial, acompanhada de prosperidade econômica.
» Dinastia dos Severos (193-235).

A crise do Império Romano
A crise do império teve início a partir do século III, ocasionada pelo fim das conquistas, quando ocorreu a interrupção do abastecimento de escravos nas atividades econômicas, o que implicou crise de produção, de circulação de produtos e monetária, gerando altos índices de inflação.
Esses acontecimentos contribuíram para que diminuísse a arrecadação de tributos, dificultando a situação da máquina administrativa. Em meio à crise, o imperador Diocleciano criou a Tetrarquia, dividindo o império em quatro partes.
Ainda no século IV, os romanos assistiram as primeiras levas de bárbaros cruzarem as fronteiras do império.
Em 395, o imperador Teodósio, preocupado em melhorar a administração, dividiu o império em dois, Ocidente e Oriente.

O declínio final
No século V, ocorreu a decadência definitiva da parte ocidental do Império Romano, cujos fatores foram:
» deterioração da economia;
» lutas internas;
» fuga de capitais para o Oriente;
» corrupção dos costumes;
» a invasão dos povos bárbaros.
Em 476, a cidade de Roma caiu nas mãos de Odorico, rei dos hérulos. O Império Romano do Ocidente, ruralizado, fragmentado política e economicamente, não existia mais.

ATIVIDADES
1. Como surgiu o Império Romano?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
2.   Qual era o papel político do imperador romano?
_____________________________________________________________________________________________________________________
3.   Por que o Império Romano entrou em crise?
_____________________________________________________________________________________________________________________
4.  Quais foram os fatores que levaram ao declínio do Império Romano?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

O CRISTIANISMO
O cristianismo surgiu na Palestina, província romana. Caracteriza-se por ser uma religião monoteísta, messiânica e profética, cujos princípios são: crença na Trindade, nos anjos, no juízo final, na ressurreição da carne e na vida eterna.
No cristianismo primitivo, os cristãos viviam em comunidades. Em 313, Constantino assinou o Edito de Milão, permitindo a liberdade de culto aos cristãos. Em 380, o imperador Teodósio converteu-se ao cristianismo e, em 391, oficializou-se como religião do império.

O DESENVOLVIMENTO ARTISTICO-CULTURAL
Os romanos foram transmissores da cultura grega para outras partes do mundo.
O direito é um dos legados mais importantes que Roma deixou às civilizações posteriores. Sua influência chega até os dias atuais.
A arquitetura foi a arte mais desenvolvida, marcada pela grandiosidade de suas construções: muralhas, estradas, teatros, anfiteatros, templos, aquedutos, termas, etc.





ATIVIDADES
1.  Quais as principais características do Cristianismo?
_____________________________________________________________________________________________________________________
2.  Em sua opinião, qual o maior legado romano para as civilizações atuais? Por quê?
_____________________________________________________________________________________________________________________
3.   No Brasil, como em diversos países do mundo, existem vários exemplos de construções influenciadas pelos padrões arquitetônicos dos romanos.
a. Pesquise. Qual era a função de um aqueduto?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Nenhum comentário:

Postar um comentário